1958, ano em que o sr Osvaldo Pereira primeiro discotecário do Brasil montou um sistema de som com pouco mais de 100 Wats e substituiu as orquestras que tinham no mínimo 12 músicos por um disco de vinil na época 78 rpm barateando assim o valor dos ingressos no salão.
Em cima do palco com a cortina fechada e tocando discos das Big Bandas seu Osvaldo tentava passar a impressão aos freqüentadores destes bailes que não sabiam de onde vinha o som que era as big bandas tocando de onde surgiu o nome da equipe “Orquestra invisível Let’s dance”.

E assim foi a década de sessenta com o sr Osvaldo tocando nestes bailes um pouco de tudo e misturando os ritimos para que as pessoas pudessem dançar, hora tocando o swing das Big Bandas americanas hora entrando na jovem guarda com os Goldem boys, Trio Esperança e Roberto Carlos junto com Erasmo e criando novos seguidores deste estilo.
Em 1969 no Rio de Janeiro tivemos a presença do Big Boy criando uma nova maneira de discotecar onde o DJ interagia com os ouvintes e a aproximação dos bailes à Soul Music o Funk.

Em São Paulo tivemos esta mesma aproximação por parte das equipes grandes ficando com as equipes pequenas da periferia a continuidade do estilo de tocar do Sr Osvaldo que continuavam a misturar o Swing das Big Band’s americanas com a jovem guarda de Roberto Carlos e Erasmo e o Sambalanço de Jorge Ben entre outros estilos que fizeram sucesso no passado.

Parte deste texto foi tirado do livro “Todo dj já Sambou” da jornalista Cláudia Assef.

Com este disco clássico dos clássicos Baburiba como era chamado onde Lionel Hampton com seu Vibrafone nos da um show com este instrumento que ele ajudou a se popularizar damos seguimento à nova serie “Os Bailes e as Big Band’s” onde o ano de lançamento deste disco é 1959 sendo executado nos bailes da década de 60 e com a regravação em 1970 só que com bem menos apelo popular para as musicas das Big Band’s ele se tornaria mais um disco que entraria pro rol das raridades.

Deste disco destacamos as musicas “ Hey, Baba Re Bob” e “Cutter´s Corner, Hamp’s Boogie Woogie” sendo que estas ultimas bem pouco conhecidas pois não saiu em nenhuma coletânea de Samba Rock também temos a rasteinha “Kidney Stew”.

Rasteirinha palavra muito usada pelo Johnny e seria hoje um sinônimo de musica lado B que queria dizer que não é a musica principal e era normalmente tocado no começo da festa quando o salão estava vazio ou com alguns poucos casais ensaiando suas coreografias só que o Jhonny um cara brincalhão e sempre alegre com a vida a usava pra todas as musicas


No mais e baixar e conferir essa obra prima e escutar o show que Lionel Hampton e seu vibrafone nos oferece neste disco.

lado a
1. Flying Home
2. Hey Baba Re bop
3. Hamp’s Boogie Woogie
4. Kidney Stew
5. Hamp’s Mambo
6. Airmail Special

lado b
1. Big Brass
2. Red Top
3. Night Train
4. Elaine & Daffy
5. Cutter’s Corner
6. Le Chat Noir

Link do Arquivo

http://www.4shared.com/file/155296637/d31b3e4/Set_Demo_Lionel_Hampton.html

set demo Lionel Hampton