“Don’t Be Cruel” é uma canção escrita por Otis Blackwell e gravada por Elvis Presley em 1956 .
Foi introduzido no Hall da Fama do Grammy em 2002 e em 2004, foi listado sob o n° de 197 na lista da Rolling Stone dos 500 Greatest Songs of All Time.

A canção está atualmente classificada no 92 como a maior canção de todos os tempos, assim como a quinta melhor canção de 1956.

“Don’t Be Cruel” foi a primeira música que os editores, Hill and Range, trouxeram para Elvis Presley gravar.

Blackwell foi mais do que feliz em dar até 50% dos royalties e ter colocado Elvis como co-autor desta musica.
Este tema já foi abordado pelo Ferpa de uma forma bem mais elaborada é só seguir o link “http://arquivodosambarock.blogspot.com/2009/12/don-be-cruel-hound-dog-7-single-elvis.html

“Don’t Be Cruel” com relação a Patton William ” Bill Black” e os Bailes

Patton William “Bill” Black, Jr. (17 de setembro de 1926 – 21 de outubro de 1965) Foi músico norte-americano que ficou conhecido por ser baixista de Elvis Presley, e por conduzir os Bill Black’s Combo.

E um dos muitos que re-gravaram a musica Don’t Be Cruel primeiramente em compacto e logo em seguida em lp e que seria re-gravadas quase que sucessivamente assim como as gravações desta musica com o Elvis
Na musica Don’t Be Cruel que saiu em compacto em 1960 encontramos uma diferença de tempo em relação à mesma musica lançada em Lp neste mesmo ano.
Detalhe este que tornou a procura pelo compacto bem mais acirrado que pelo Lp ate porque o lp saiu re-gravado em 1965 e a musica principal Don’t Be Cruel estava sempre sendo re-gravada.

A. Don’t Be Cruel 2:02
B. Rollin’ 2:15

No Lp também encontraremos outro sucesso dos bailes como Tequila que não chega ser uma das melhores versões mas vale a pena e portanto estamos postando junto com o lp o compacto

lado A
01 – Don’t Be Cruel 2:15
02 – Singin’ The Blues
03 – Blueberry Hill
04 – I Almost Lost My Mind
05 – Cherry Pink
06 – Mona Lisa

lado B
07 – Honky Tonk
08 – Tequila
09 – Raunchy
10 – You Win Again
11 – Bo Diddley
12 – Mack The Knife

Link do Arquivo nos comentarios