>
Suingue, samba rock, balanço, charme, groove.

Bebeto tem tanto essas coisas que até transborda.
Desde a década da calça boca de sino, o cabelo black power e o sapatos cavalo de aço, ele é o sujeito que segura a nega.
Assim dizia o título do hit, extraído do seu disco de estréia, “Bebeto”, lançado em 1975.
Dizia, não. Previa.
Mais de três décadas depois, ele reaparece com um disco elegantemente chamado “Prazer, eu sou Bebeto”.
E prova – com respeito, simpatia, alegria e todas aquelas palavras lá de cima – que ainda segura a nega.

Prazer de lançar um disco, na verdade, Bebeto não tinha há quase seis anos.
Redescoberto por DJs aqui e lá fora, ele passou esse tempo desfilando o repertório de quase 40 discos em incontáveis shows pelo Brasil.
No palco, Bebeto está em casa.
Foi ali que ele conquistou o público dos bailes black do subúrbio do Rio e depois contagiou o resto do país com seu requebrado musical.
Aquela é a sua base eleitoral, faz tempo.
Não tem como não dar samba.

– Faço muitos shows, sempre fiz – diz Bebeto.
– Acho que foi por isso e pelo trabalho dos DJs que consegui me conectar com esse público que hoje é mais jovem.

Mais jovem, por exemplo, como Davi Moraes, filho de Moraes Moreira, e Fred Nascimento, músico que já acompanhou o melhor de Brasília (Legião Urbana e Capital Inicial).

– O Davi veio me dizer um dia que curtia os meus discos desde criancinha.
Achei que ele estava brincando, mas era verdade. Fiquei orgulhoso. Jamais imaginaria isso.

E assim, no balanço das horas, Bebeto ia surfando a onda do sucesso, tão duramente alcançada, enquanto preparava o novo disco.
Pressa, nenhuma.
Ele sabia, do alto de quatro décadas de mercado, que a maré estava virando.
Era preciso manter o coração tranqüilo.

– Eu estava preparando o disco sem pressa, sem estresse, bem calmo mesmo. Mas no meio da história, aconteceu um contato com a EMI, que gostou das coisas que eu estava gravando e resolveu lançar o disco.
Aí a gente acelerou um pouquinho só (risos).

Bebeto acelerou, mas manteve o tempo e a batida que o consagrou.
Um balanço de origem identificada e homenageada em “De bem com a vida” (sobre um certo Jorge).
Prazer, eu sou Bebeto” deixa suas raízes à mostra também em “Herdeiros da raça” (“Obrigado África/Pela cor que o Brasil tem”, canta ele, embalado por malandros riffs de guitarras).

– O suingue e o samba rock são os meus estilos, são a minha marca registrada.
É um som que eu nunca deixei de fazer e ao qual eu sempre fui fiel – garante ele.
– Quando eu faço um show em Porto Alegre e vejo grupos com garotos de 18 anos tocando samba rock, fico emocionado.
No disco, eu tenho parceiros, como o Thiago Correa e Allan Dias, que são uns moleques de vinte e poucos anos.

A idade em torno de Bebeto é relativa.
Apesar de soarem clássicas, das 15 músicas do disco – que tem seus fãs, Davi Moraes e Fred Nascimento, como convidados – apenas uma, “Água água”, não é original.

– Resolvi regravar essa música porque ela tem a ver com ecologia e a defesa do meio ambiente.
Tem se falado muito em aquecimento global e achei que era uma boa mostrar como essa letra continua atual – diz Bebeto, mostrando que se (re)apresentar bem é tão importante quanto segurar a nega.

Texto adicional do Arquivo:

Em breve Bebeto estará fazendo o show de lançamento do cd.
E sua assessoria estará sorteando ingressos através dos diversos canais do Bebeto na internet.
Portanto, fiquem ligados nesses canais e concorra a esses ingressos.
Aí estão os links:

Site: http://www.bebetocantor.com.br/
Blog: http://bebetocantor.blogspot.com/
Twitter: http://twitter.com/BebetoCantor
Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=100001535343482
Youtube: http://www.youtube.com/user/bebetocantor
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=105715816&refresh=1
Myspace: http://www.myspace.com/bebetocantor
Netvibes: http://www.netvibes.com/bebetocantor

E enquanto não rola o show, fiquem com o vídeo da nova faixa do Bebeto – De Bem Com A Vida: